sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Furacão Patricia ameaça México com 'consequências potencialmente catastróficas'

Henry Romero/Reuters


Funcionários de restaurante cobrem janelas com placas de madeira, enquanto o furacão Patricia se aproxima, no balneário de Puerto Vallarta, no Mèxico

O México se prepara para enfrentar o mais forte furacão já registrado nas Américas, que traz consigo um "potencial catastrófico".

Segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, o Patricia já provocou na tarde da última quinta-feira (22) ventos de 240km/h e alcançará a categoria 5 --o nível mais alto da escala Saffir-Simpson.

São esperados ventos de até 325km/h, que seriam fortes o suficiente para "fazer um avião ir pelos ares e mantê-lo voando", segundo a Organização Meteorológica Mundial, que comparou a intensidade do Patrícia à do tufão Haiyan, que matou 6.300 pessoas nas Filipinas em 2013.

A Secretaria de Governo do México declarou estado de "emergência extraordinária" em várias localidades dos Estados de Colima, Nayarit e Jalisco com a iminente chegada do furacão. Cerca de 400 mil pessoas vivem nas áreas consideradas vulneráveis ao furacão.

"Os prognósticos seguem indicando que a zona de impacto do olho do furacão será o Estado de Jalisco", explicou o diretor da Comissão Nacional da Água, Roberto Ramírez de la Parra. "É muito provável que esse furacão seja o mais intenso que já existiu na parte do Pacífico do nosso país."
Enchentes e deslizamentos

O México normalmente enfrenta tempestades tropicais vindas tanto do Atlântico quanto do Pacífico nesta época do ano e já começou a evacuar as áreas que serão potencialmente mais afetadas pelo Patrícia, tirando cerca de 50 mil pessoas da zona costeira.

O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos alerta que enchentes, deslizamentos de terra e grandes ondas poderão ocorrer. "O Patricia deverá ser extremamente perigoso quando tocar a terra", afirmou a organização americana.

As autoridades mexicanas preparam albergues para atender 295 mil pessoas, e as aulas foram suspensas em escolas de vários Estados.

Além disso, o governo aconselhou que turistas não viajem para a região. O centro turístico de Puerto Vallarta, em Jalisco, pode ser diretamente afetado pelo furacão.
Prevenção

Alguns estabelecimentos seguiram as recomendações de autoridades e permaneceram fechados nesta sexta-feira. "Melhor prevenir do que remediar. Os furacões são sempre imprevisíveis", disse Enrique Esparza, diretor de uma loja de móveis em Manzanillo à agência de notícias AFP.

Nesta localidade, moradores já foram a supermercados para fazer compras de emergência e se preparar para o caso de o furacão causar estragos maiores. A previsão é de que o Patricia traga cerca de 15 a 30 cm de chuva nos Estados de Jalisco, Colima, Michoacán e Guerrero.

Também há um temor de que possa haver inundações na costa, acompanhadas de "ondas gigantes e destruidoras". A Comissão de Águas alertou que os rios podem transbordar e as estradas poderão ser afetadas pelo mau tempo.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário