quinta-feira, 23 de julho de 2015

Dólar sobe mais de 2% e fecha a R$ 3,296, maior valor em mais de 4 meses


O dólar comercial fechou em alta de 2,17% nesta quinta-feira (23), a R$ 3,296 na venda. É o maior valor de fechamento desde o dia 19 de março, quando o dólar fechou valendo R$ 3,297 na venda. É também a maior alta percentual diária desde 11 de maio, quando a moeda norte-americana tinha subido 2,31%.

Nas casas de câmbio de São Paulo, a moeda norte-americana já está cotada próximo de R$ 3,70. O valor sempre é maior para turistas do que o divulgado no câmbio comercial.

Os valores iam de R$ 3,44 (em dinheiro vivo) a R$ 3,69 (no cartão pré-pago), já considerando o IOF, segundo pesquisa feita pelo UOL em cinco casas de câmbio, entre 14h e 14h30 desta quinta-feira (23).
Investidores preocupados com corte da nota

Investidores estão preocupados que Brasil venha a perder seu grau de investimento, uma espécie de "selo" de bom pagador, após o corte nas metas fiscais anunciado na véspera.

"Cresceu significativamente a chance de o Brasil perder o grau de investimento. Talvez isso demore, mas a chance é alta", disse o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira, à agência de notícias Reuters.

A agência de classificação de risco Moody's deve manifestar-se sobre a nota brasileira em breve, após visita ao país na semana passada. A Fitch indicou que vai cortar a nota do país. A agência brasileira Austin Rating cortou hoje a nota de crédito de longo prazo do Brasil em moeda estrangeira, tirando do país o chamado "grau de investimento".
Corte da meta fiscal

Na véspera, o governo brasileiro anunciou uma redução na meta de economia para este ano: de 1,1% para 0,15% do PIB (Produto Interno Bruto).

Investidores entenderam que a decisão representou uma derrota para o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que queria uma meta maior para equilibrar as contas públicas.

"Se parecer que o Levy vai continuar perdendo as batalhas, o mercado vai começar a colocar no preço a possibilidade de ele sair do governo, e aí sim o dólar explode", disse o operador de um importante banco internacional à agência de notícias Reuters.
Atuação do Banco Central

Nesta manhã, o Banco Central vendeu a oferta total no leilão de rolagem de swaps cambiais (equivalentes à venda futura de dólares). Com isso, já rolou o equivalente a US$ 4,804 bilhões, ou cerca de 45% do lote que vence no início de agosto, que corresponde a US$ 10,675 bilhões.

Os leilões de rolagem servem para adiar os vencimentos de contratos que foram vendidos no passado.


Do UOL, em São Paulo
(Com Reuters)


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário