terça-feira, 17 de março de 2015

PF faz operação contra quadrilha que fraudava financiamentos imobiliários

A Polícia Federal realiza, na manhã desta terça-feira (17), uma operação no Rio de Janeiro, em São Paulo e Minas Gerais contra uma organização criminosa suspeita de fraudar financiamentos imobiliários. Os prejuízos são estimados em R$ 100 milhões.
Gerentes da Caixa facilitavam a farsa, segundo 
a investigação.Operação acontece principalmente
no RJ, com atuação de 133 agentes. 


A fraude ocorria em três agências da Caixa Econômica Federal e tinha como principais alvos imóveis na Região dos Lagos, no estado fluminense.

Em média, cada apartamento ou casa tinha sobrevalorização de 1.000% em relação ao real valor de mercado, segundo a Polícia Federal. Ainda de acordo com a investigação, os membros da quadrilha contavam com o auxílio de funcionários da Caixa, inclusive gerentes regionais.

Aceitando documentos falsos, eles facilitavam o recebimento de contratos de até R$ 1 milhão. Enquanto o processo de financiamento costuma levar mais de um mês, nas agências suspeitas a liberação de recursos demorava apenas quatro dias.

Ao todo, 133 policiais federais cumprem 34 mandados de condução coercitiva, 10 afastamentos de empregados públicos, sequestro de 20 veículos, 31 mandados de busca e apreensão, além de bloqueios de contas correntes.

Os suspeitos podem responder por associação criminosa, falsificação de selo ou sinais públicos, falsificação de documentos públicos, estelionato, peculato, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de capitais.

A Caixa Econômica Federal informou que a operação Dolos deflagrada nesta terça-feira envolvendo fraude na concessão de crédito imobiliário no Rio de Janeiro foi identificada pela Caixa por meio de mecanismos de controle interno. O banco encaminhou notícia-crime à Policia Federal para apuração da ação criminosa.

Em nota, o banco disse ainda que já submeteu os empregados envolvidos à processo de apuração interna, que resultou em demissões e suspensões. A empresa ressaltou ainda que continuará contribuindo integralmente para investigações da Polícia Federal.




Do G1 Rio
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial