segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Aos 86 anos, morre o empresário Antônio Ermírio de Moraes

Presidente de honra do grupo Votorantim morreu em casa por insuficiência cardíaca


Morreu na noite de ontem (24), aos 86 anos, em São Paulo, o empresário e presidente de honra do Grupo Votorantim, Antônio Emírio de Moraes, informou a assessoria de imprensa a companhia. Ele estava internado no Hospital Beneficência Portuguesa, na capital paulista, mas morreu em casa por insuficiência cardíaca.

O corpo será velado a partir das 9h da manhã desta segunda-feira no Salão Nobre do Hospital Beneficência Portuguesa e o cortejo sairá às 16h em direção ao Cemitério do Morumbi, onde será realizado o enterro.

Antônio Ermírio de Moraes nasceu em São Paulo em 4 de junho de 1928. Seu pai, o engenheiro pernambucano José Ermírio de Moraes, criou o Grupo Votorantim, comprando as ações de uma empresa de tecelagem localizada na cidade de Votorantim, que pertencia ao sogro, o imigrante português Antônio Pereira Inácio.

Em 1945, Antônio Ermírio embarcou para os Estados Unidos para cursar engenharia metalúrgica no Colorado. Ao voltar para o Brasil em 1949 fez estágio não remunerado na Siderúrgica Barra Mansa, da família. Foi responsável pela instalação da Companhia Brasileira de Alumínio, inaugurada em 1955. Após a morte do pai, em 1973, assumiu, junto com o irmão, José Ermírio, o comando do Grupo Votorantin, que tem negócios em mais de 20 países.

Em 1986, aventurou-se na políticia, lançando-se à candidatura ao governo do Estado de São Paulo pela União Liberal Trabalhista Social ( PTB, PL e PSC), ficando em segundo lugar, perdendo para Orestes Quércia, do PMDB.

É autor de três peças de teatro, duas já lançadas no circuito paulistano : Brasil S.A., Acorda Brasil e S.O.S Brasil. Todas as peças acabaram virando livro, a peça "Acorda Brasil" foi vista por 26 mil pessoas.

Em 2001 deixou a presidência do conselho de administração do Grupo Votorantim e entregou o comando do conglomerado aos filhos e sobrinhos. Uma combinação de doenças afetaram sua mente e seus movimentos, imobilizando-o numa cama, levando-o a sofrer de hidrocefalia e mal de Azheimer.

Antônio Ermírio deixa a esposa, Maria Regina Costa de Moraes, com quem teve nove filhos.

No Minuto
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário