domingo, 1 de junho de 2014

Lula vê '99,9%' de chances de vitória

Lula e Dilma participaram do encontro do PT
mineiro, que antecede a convenção de homologação
da candidatura ao governo de Minas
FOTO: RICARDO STUCKERT


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu na última sexta-feira, (30/05), a estratégia "Dilminha paz e amor" para a campanha de Dilma Rousseff, e disse que sua sucessora tem "99,9% de possibilidades" de ser reeleita.
"Nunca vi tanto desrespeito à nossa presidenta da República. Temos que instituir agora a campanha Dilminha paz e amor. Eles passaram o governo dela todo dizendo que ela era raivosa, grossa, que não recebia ninguém. Mas vamos mostrar o contrário. Vamos com cuidado. Temos 99,9% de possibilidades de reeleger a companheira Dilma", disse Lula em evento do PT em Belo Horizonte na noite de sexta-feira (30), repetindo o bordão que assumiu na campanha de 2002, o do "Lulinha paz e amor".
Presente ao evento petista, Dilma mencionou a sugestão ao discursar após Lula: "Posso ser a Dilminha paz e amor, mas também não vou levar desaforo para casa", declarou.

Lula disse que a oposição tem se incomodado com comparações dos 12 anos do PT no poder com "os cem anos que eles governaram" o país.
"Não estamos comparando mandato com mandato", afirmou Lula, para quem os opositores do PT tentam desmerecer as realizações dos governos dele e de Dilma.
Lula mais uma vez se voltou contra a imprensa ao dizer que se trata do "maior partido de oposição hoje". Afirmou que irá revidar críticas que disse ter sofrido no seu mandato e fazer o que Dilma, na condição de presidente, não pode fazer.
"Vou devolver para eles em pílulas, todos os dias, o que fizeram comigo", afirmou.
Lula e Dilma participaram da abertura do encontro estadual do PT mineiro, preparatório para a convenção de junho do partido que homologará a candidatura ao governo de Minas do ex-ministro Fernando Pimentel.
Críticas
As críticas às gestões do PSDB, nacional e em Minas, e também ao senador tucano Aécio Neves, rival de Dilma na disputa ao Planalto, deram o tom do encontro petista.
Dilma fez menção indireta ao tucano, que vem dizendo que o Brasil é um "cemitério de obras". "Tem candidato dizendo que o Brasil é um cemitério de obras. Ele enxerga de forma míope o Brasil", afirmou.
"Ele está se lixando para a opinião pública e vai derrubar qualquer barreira para impor o seu figurino neoliberal", afirmou a presidente, criticando a defesa de "um modelo que já fracassou" - que relacionou a "recessão, desemprego, arrocho salarial, desigualdade e submissão ao FMI".
Lula provocou Aécio ao dizer que em Minas não há liberdade e que o Estado controla a imprensa. E disse que a principal obra de Aécio é o centro administrativo do governo, obra de grande porte da gestão tucana
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário