segunda-feira, 1 de abril de 2013

Sertão da Paraíba não terá chuvas no começo de abril


Em algumas cidades, a probabilidade só chega a 5%; a umidade do ar deve ficar em torno dos 30%

A primeira semana de abril não deve ser de chuvas no Sertão da Paraíba, de acordo com Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Na grande maioria das cidades, segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), a probabilidade de chuvas varia de 0 a 5% e a umidade do ar pode cair até para os 30%. De acordo com o meteorologista Francisco de Assis Sousa Santos (Inmet), o tempo só deve mudar na madrugada de sábado, quando a pressão atmosférica diminui, favorecendo a formação de nuvens, mas o volume de água não deve ser muito significativo.

Segundo a Agência Executiva de Gestão de Águas da Paraíba (Aesa), chuvas isoladas podem ocorrer no Sertão ao longo da semana, mas de forma isolada e passageira. “O período chuvoso no Sertão vai de fevereiro a maio. Então, ainda há mais dois meses onde o inverno de fato pode chegar à região. Para que isso ocorra estamos contando com a combinação entre as altas temperaturas e alta umidade, mas não há como prever exatamente quando esse grande volume de chuvas chegará”, disse a meteorologista Marle Bandeira.

Segundo as previsões do CPTEC, na próxima sexta-feira, a cidade de Cajazeiras tem 80% de chances de chover. A cidade, que deverá esta semana alcançar temperatura média de 35 graus, possui incidência de raios ultra violetas extrema.

Na Capital, a primeira semana de abril contará com temperatura média de 28 graus, mas a probabilidade de chuvas não passa de 5%. O mesmo ocorre em Campina Grande, Agreste, e em Patos, no Sertão, durante toda a semana a chance de chover é zero.

Índice ultravioleta é extremo

“Enquanto não chover na Paraíba temos como consequência a redução na umidade do ar, que atualmente varia entre 30% e 50%, o que são valores abaixo do esperado. O aumento na umidade do ar só acontecerá quando chover, uma vez que ela é a consequência das precipitações. Tão longo haja uma redução nas temperaturas, ainda que mínima, a umidade aumentará automaticamente e com isso a população sentirá uma melhora significativa na respiração”, informou o meteorologista do Inmet, Francisco de Assis Sousa Santos.

Ainda de acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), em todas as regiões da Paraíba, o mês de abril começa com índice ultravioleta (IUV) extremo. O IUV representa o valor máximo diário da radiação ultravioleta incidente na Terra, quando há uma condição de céu claro, sendo apresentado como um número inteiro. De acordo com recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), esses valores são agrupados em categorias de intensidades, conforme mostra a tabela abaixo:

População deve se proteger de raios

Para evitar lesões de pele causadas pelo excesso de IUV, o recomendável é a adoção de alguns procedimentos básicos e o uso de alguns acessórios e vestimentas em situações de exposição inevitável. Isso seria basicamente a aplicação de loção anti-UV (uso de protetor solar) nas partes expostas do corpo, o uso de peças de roupas cobrindo também braços e pernas, além de chapéu com abas largas e óculos escuros com filtro anti-UV. Para a situação de incidência atual do Estado, recomenda-se evitar a exposição direta ao sol, ficando à sombra de um guarda-sol ou mesmo dentro de uma edificação até que o horário crítico de incidência da radiação UV passe, lembrando que o horário crítico é das 9h às 16h.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário