quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Argentina se casa com assassino de irmã gêmea sob vaias e pedradas


Reprodução/ El Patagónico

Argentina Edith Casas, 22, oficializa união com o assassino de sua irmã gêmea

Mesmo sob vaias e pedradas na porta do cartório da cidade de Pico Truncado, na Argentina, a jovem Edith Casas, 22, finalmente conseguiu se casar com o homem que cumpre pena pelo assassinato de sua irmã gêmea. O casamento foi realizado ao meio-dia desta quinta-feira (14), dia em que alguns países comemoram o Dia dos Namorados.

O noivo Victor Cingolani, 27, que vestia uma camisa branca e uma jaqueta preta, chegou ao cartório algemado e acompanhado por policiais. Ainda que a cerimônia tenha sido reservada, cerca de 1.330 civis, segundo o jornal "Clarín", fizeram um protesto em frente ao local.

Após dizerem "sim" aos juízes, o casal deixou o cartório em meio a insultos. Alguns populares chegaram até atirar pedras em Cingolani, que foi condenado a 13 anos de prisão pela morte de Johana Casas [irmã gêmea de Edith]. Ele voltará para a penitenciária, aonde cumpre a pena às 20h de hoje, horário marcado para o fim da festa.

Nem mesmo a família da noiva aprovou essa união nada convencional. Marcelina Orellana, a mãe das gêmeas, entrou com um recurso na Justiça para tentar impedir o casamento, que estava previsto inicialmente para o dia 21 de dezembro.

Mas a Justiça aprovou a união de Cingolani e Edith após os resultados dos exames de sanidade da jovem não terem apresentado qualquer alteração. E Cingolani, mesmo cumprindo pena, recebeu permissão especial para comparecer à cerimônia.

Johana tinha 20 anos quando foi encontrada morta em uma floresta de Pico Truncado com dois tiros no peito. Ela e Cingolani eram namorados, mas na época do crime [julho de 2010] estavam separados.




Do UOL, em São Paulo
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário